4 dicas para ajudar seu filho a exercitar a inteligência emocional


No livro intitulado “O Cérebro da Criança” os autores Dr. Daniel Siegel e Dra. Tina Bryson explicam que falar sobre sentimentos ajuda à criança a organizar-se melhor internamente e a apropriar-se das emoções de forma mais consciente. Isto também significa que quanto mais diálogo houver sobre sentimentos, mais estaremos estimulando o córtex pré-frontal de nossas crianças, que segundo o Dr. Daniel Goleman, autor do livro intitulado “Inteligencia Emocional”, é a parte do cérebro que regula as emoções e inibe impulsos emocionais destrutivos.

Estas técnicas que vou apresentar são úteis seja para crianças mais introspectivas que têm dificuldade em se comunicar, assim como para crianças que tem tendência em externalizar seus sentimentos de forma mais agressiva, às vezes batendo ou gritando. Quero pontuar que na disciplina positiva, todos os sentimentos dos nossos filhos devem ser aceitos e acolhidos por nós, mesmo aqueles que às vezes nos assustam, como raiva e ódio. A nossa tarefa como pais e educadores não é bloquear o fluxo dos sentimentos ou ensinar se há sentimentos certos ou errados. Pelo contrário. Nós devemos dar espaço para que nossos filhos sintam o que quer que seja e depois podemos mostrar-lhes como canalizar e administrar melhor as emoções e sentimentos que lhes sobrevém. A seguir proponho cinco técnicas que ajudarão seu filho a exercitar a sua inteligência emocional.


1 - Conte para seu filho como foi o seu dia, focando no que você sentiu. Mencione os sentimentos bons e ruins e como lidou com eles. E não se preocupe em esconder atitudes erradas, elas também servirão de aprendizagem para seu filho. Se a conversa fluir, aproveite e lhe pergunte como foi o seu dia.


2 - Pergunte para seu filho sobre sentimentos específicos que tenha sentido ao longo do dia. Peça que ele te conte o que mais o deixou feliz, triste, surpreso ou entusiasmado. A cada dia você pode trocar o sentimento específico. Você perceberá que conforme for usando esta técnica ao longo do tempo seu filho terá mais facilidade para relatar sobre seus sentimentos pois estará mais e mais familiarizado com cada um deles.


3 - Depois de ler uma história ou assistir a um filme ou seriado, pergunte sobre o que um personagem sentiu em determinada situação e porquê. Além de estar falando sobre sentimentos estará estimulando a empatia de sua criança, fazendo-a colocar-se no papel do outro. Saber identificar os sentimentos do outro é um forte indicador de inteligência emocional.


4 - Quando estiver passeando de carro, aproveite para conversar sobre a expressão facial de pessoas em cartazes ou outdoors. Será uma excelente oportunidade para falar sobre sentimentos não-verbais, que também são forma de expressar sentimentos. Isto deixará sua criança mais atenta às reações emocionais de outras pessoas mesmo que estas não digam nada.


5 - Fale com seu filho quando estiver desapontado ou chateado com ele. Explique o motivo e qual sentimento isto gerou em você. Lembre-se, para fazer isto não precisa gritar ou agredir seu filho. É importante que nossos filhos ouçam de nós o que certos comportamentos deles nos causam. Esta é uma oportunidade maravilhosa para nossos filhos aprenderem como podemos expor nossos sentimentos a outra pessoa de forma respeitosa. Veja, nós somos o modelo no qual nossos filhos mais se espelham e quando expomos nossos sentimentos de uma forma emocionalmente inteligente, sem extrapolar, gritar ou agredir, estaremos mostrando aos nossos filhos qual a forma certa de se lidar com fortes sentimentos, principalmente os negativos.


Estas são algumas técnicas bem práticas e simples que você pode começar a usar desde já com seus filhos. Lembre-se, a prática faz o mestre! Se possível, utilize uma ou mais técnicas diariamente e em breve perceberá uma percepção emocional mais aguçada em sua criança. Ela compreenderá melhor o que se passa dentro dela e saberá identificar melhor as emoções nas outras pessoas.

Não tenha receio de usar palavras mais complexas para nomear sentimentos. Quanto mais seu filho for exposto a estas palavras, melhor compreenderá seu uso correto e qual o sentimento ligado a elas.


32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Se fossemos definir a empatia, poderíamos dizer que é a habilidade socioemocional de se colocar no lugar do outro, sentir como ele. Uma expressão bem conhecida do inglês para exemplifica-la é o “walk