Afinal, o que é Educação Respeitosa e Disciplina Positiva?

Apesar do conceito de Educação Respeitosa existir há quase 100 anos (ou talvez até mais), eu só fui ter contato com esta forma de se criar filhos há +/- 2 anos atrás - e percebo que muitas pessoas nunca ouviram falar ou tem uma imagem distorcida do que a educação respeitosa representa. Educar respeitosamente significa, de fato, respeitar a criança e tratá-la com a mesma importância e consideração eu gostaria de de ser tratado/a. Dentro da educação respeitosa existem várias ramificações, como criação consciente, criação com apego, educação não violenta - sendo que nenhuma exclui a outra, mas todas se complementam. Segundo as palavras da autora L. R. Knost, a educação respeitosa se resume em três conceitos: conexão, comunicação e cooperação. Estes três elementos, interligados com compreensão, respeito e amor, criam um lar pacífico e feliz. O primeiro desafio para alguém que nunca tenha ouvido falar em criação respeitosa ou nunca tenha educado seus filhos nesta filosofia, é que isso não funciona. Afinal "criança tem que obedecer" - "criança não tem que querer" - "se deixar, criança sobe em cima da gente" - "uma palmada nunca matou ninguém" - "meu filho só funcionava na base da ameaça". Contudo, estas concepções são distorcidas e muitas vezes resultam de uma herança culturar e familiar - a forma como fomos criados se torna a forma como criamos os nossos filhos. O interessante é que pesquisadoras da área da psicologia e neurociência comprovam, há anos, que a educação respeitosa é a mais compatível com o desenvolvimento natural das crianças. E nem precisamos pesquisar tanto assim para concordar que ninguém gosta de ser obrigado a nada, ou de apanhar, ou de ser gritado, humilhado, chantageado ou castigado. Se coloque no lugar da sua criança: como VOCÊ reagiria se alguém de maltratasse? A formidável dr. Jane Nelsen diz assim em seu livro "Disciplina Positiva": "De onde tiramos a absurda ideia de que, para levar uma criança a agir melhor, precisamos antes fazê-la se sentir pior?". Disciplina Positiva é um termo que vem surgindo de forma mais presente no mundo educação contudo há muitas dúvidas sobre o que de fato é disciplinar positivamente. Alguns dizem que é um meio termo entre permissividade (deixar a criança fazer o que quer) e autoritarismo (mandar em tudo na criança). Na verdade, a disciplina positiva NÃO É um meio termo entre estes dois extremos, pois eles se baseam numa relação "de cima para baixo" ou vertical. O adulto é que manda (autoritarismo) ou não manda (permissividade). Disciplina Positiva foge completamente deste modelo vertical - por isso que não deve ser comparado a modelos como autoritarismo ou permissividade. A dr.a Jane Nelsen, precursora desta filosofia de educar, explica que a disciplina positiva se basea em cooperação - ou seja, é um modelo HORIZONTAL. Por meio de ferramentas descritas em seu livro "Disciplina Positiva" (de 1981) ela mostra como podemos conquistar a cooperação de nossos filhos no lugar de impor ou deixá-los fazer o que querem. O foco da disciplina positiva é apoiar o desenvolvimento da autodisciplina, responsabilidade e resolução de problemas em nossos filhos. Através da cooperação entre o adulto e a criança, proporcionamos um ambiente inclusivo e acolhedor. O adulto e a criança chegam a um denominador em comum através da comunicação. Isto não significa que os adultos deixam as crianças escolherem tudo sozinhas. Afinal há tarefas a serem cumpridas, limites a serem seguidos e combinados a serem respeitados. Este é exatamente o papel do adulto - manter a ordem e a organização no ambiente familiar. O adulto ainda é o condutor mas faz isso conquistando a cooperação das crianças. Para a dr.a Jane Nelsen, o adulto precisa estar atento atento e conectado à criança e ao seu temperamento para saber como e quando usar cada ferramenta. O resultado ideal é a criança se sentir pertencente e significativa, seja qual for a situação. Há várias ferramentas que a dra. Nelsen propõem em seu livro (algumas das quais vou apresentar esta semana) mas o que definitivamente NÃO é usado na disciplina positiva são métodos punitivos como castigos ou palmadas, assim como gritos ou qualquer tipo de humilhação.

Imagem:

<a href="https://www.freepik.com/free-photos-vectors/people">People photo created by bristekjegor - www.freepik.com</a>

4.146 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Se fossemos definir a empatia, poderíamos dizer que é a habilidade socioemocional de se colocar no lugar do outro, sentir como ele. Uma expressão bem conhecida do inglês para exemplifica-la é o “walk