Como ajudar nossos filhos a serem autoconfiantes?


Autoconfiança é a convicção que uma pessoa tem, de ser capaz de fazer ou realizar alguma coisa. As crianças já nascem confiantes, entregues e seguras. O perigo está na nossa intervenção, em quando e quanto “podamos” a autoconfiança das crianças. Não é que essa intervenção adulta sempre ocorra pelos motivos errados – às vezes é movida pelo medo (de se machucar), por exemplo. Ainda assim é de nossa responsabilidade guiar nossos filhos de forma que os deixemos vivenciar sua autoconfiança, apoiando-os e demonstrando assim que confiamos neles. E como fazemos isto? Para isso precisamos oferecer mais liberdade à criança para ela mesma poder vivenciar ou experimentar o quanto ela é capaz. Precisamos mostrar que acreditamos na capacidade dela, deixando-a de fato fazer e tentar. Na hora de disciplinar nossos filhos, devemos ter o cuidado de explicar gentilmente, focando no comportamento e não da criança em si, principalmente evitando de colocar rótulos. Se nós adultos soubermos mostrar aos nossos filhos que os erros nada mais são do que uma oportunidade de aprendizagem, estaremos preparando o caminho para que nossos filhos tenham uma autoconfiança sólida. Agora, se optarmos por repreender, humilhar, desconsiderar e brigar com nossos filhos toda vez que errarem (como derramar água de um copo) estaremos minando a sua autoconfiança. Ela começará a acreditar que realmente é incompetente e incapaz. Uma criança que recebe encorajamento se sente cheia de poder interno para construir sua identidade e melhorar a cada dia.


Atenção: encorajar não é o mesmo de elogiar. No elogio focamos no resultado, no encorajamento focamos na atitude para chegar ao resultado, independentemente deste ser bom ou não. Incentive a autonomia, para que sua criança encontre sua própria maneira de fazer as coisas, mas também mostre que ela tem seu apoio se necessário. Quando damos autonomia, apoiamos a autoconfiança que já está nas nossas crianças. E como podemos fazer isso de forma prática? Abaixo temos algumas estratégias que podemos utilizar para apoiar o desenvolvimento da autoconfiança em nossos filhos.


  • ESCOLHAS LIMITADAS: ofereça duas opções (sendo que você aprova as duas opções) e deixe-a escolher. Exemplo:" Precisamos trocar de roupa. Você prefere a blusa azul ou branca?"


  • PARE E DÊ UM TEMPO. Temos a tendência de querer fazer tudo pelos nossos filhos, principalmente socorrê-los para evitar que se frustrem. Maria Montessori, uma das maiores educadoras da história, disse "Qualquer ajuda desnecessária é um obstáculo para a aprendizagem". Deixar as crianças pensarem, tentarem, errarem, caírem, testarem e se frustrarem é fundamental para que tenham confiança em si mesmas. Quando as privamos destas experiências estamos minando a autoconfiança delas.

  • ENCORAJE. Lembre-se: encorajar é diferente de elogiar. Quando elogiamos, estamos colocando o foco no resultado (uma boa nota, um desenho bonito). A criança precisará ter bons resultados para ser elogiada. Ao contrário de quando a encorajamos, estamos focando no processo (esforço), independentemente do resultado ser bom o não. Encorajando, ao invés de elogiando, estaremos dando suporte ao desenvolvimento da autoconfiança, usando frases como "Percebo que se dedicou muito neste desenho - olha quantas cores, quantas linhas, quantos detalhes. O que você achou do seu desenho?" o que é diferente de dizer "Que desenho lindo! Eu amei".


  • NÃO PUNA sua criança quando ela errar. Precisamos enxergar o erro como oportunidade de aprendizagem. Como poderemos incentivar nossos filhos a fazerem melhor, se os fazemos se sentirem pior ao errar? Por Fernanda Salles e Maya Eigenmann

32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Se fossemos definir a empatia, poderíamos dizer que é a habilidade socioemocional de se colocar no lugar do outro, sentir como ele. Uma expressão bem conhecida do inglês para exemplifica-la é o “walk