Culpa ou Responsabilidade?

Constantemente falamos que desejamos ensinar aos nossos filhos sobre CONSEQUÊNCIAS de suas ações. Mas será que a Punição cumpre este papel?


____________ É fato que Punir, através de agressão física ou emocional, pode fazer com que o outro mude seu comportamento. Porém esta mudança não se dá, segundo a neurociência, de forma POSITIVA, SAUDÁVEL E SUSTENTÁVEL já que se utiliza de recursos como o MEDO, CULPA E VERGONHA. Mecanismos que fortalecem zonas reativas do cérebro e que dificultam que a criança desenvolva melhores estratégias para acessar o ESTADO DE EQUILÍBRIO EMOCIONAL. ___________ A CULPA, segundo a psicanálise Freudiana, é proveniente do NÃO RECONHECIMENTO ou NÃO PERCEPÇÃO dos Desejos. Desejos e Impulsos naturais Humanos. A partir do momento em que somos capazes de PERCEBER tais desejos, levá-los ao campo da CONSCIÊNCIA, então conseguimos fazer escolhas sobre eles (Free Will). Assim, sou capaz de passar unicamente do sentimento da Culpa à PERCEPÇÃO e à RESPONSABILIDADE (O que eu escolho fazer, através do que sou capaz de perceber sobre mim mesmo e sobre o mundo?) ____________ A Culpa é um sentimento como qualquer outro, que não é ruim ou bom e que pode servir para gerar MEDO DAS FALHAS, AUTO-SABOTAGEM E AUTO-PUNIÇÃO. Mas também pode ser transformada em Responsabilidade e servir para gerar PROATIVIDADE, COOPERAÇÃO, e CAPACIDADE DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS. A diferença está no foco que damos. Se é para CONSEQUÊNCIA ou se é para a SOLUÇÃO. ___________ RESILIÊNCIA é sobre isto, sobre conseguir retomar o estado de equilíbrio, mesmo após passar por situações desafiadoras. É justamente esse "RETORNO" que aprendemos a fazer. Porquê crianças não possuem o cérebro totalmente desenvolvido, nós adultos podemos ajudar a desenvolver esta capacidade (DE SER RESILIENTE) de acordo com a resposta que damos às suas FALHAS. . . As FALHAS estão servindo para aprender habilidades de vida? Construir capacidade de resolver problemas? Para Aprimoramento? Ou estão servindo para criar pessoas que congelam ao se deparar com dificuldades e com a possibilidade de fracassar? . Texto por Soraya Hiraoka @pazepais Educadora Parental e Facilitadora da Comunicação Não Violenta (CNV)

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Se fossemos definir a empatia, poderíamos dizer que é a habilidade socioemocional de se colocar no lugar do outro, sentir como ele. Uma expressão bem conhecida do inglês para exemplifica-la é o “walk