Estar disponível emocionalmente não é sobre estar ao lado, é sobre estar presente

Existe uma diferença bem profunda entre ESTAR AO LADO e estar PRESENTE e disponível emocionalmente. Tome cuidado para não confundir "permitir que a criança chore e se expresse" com IGNORAR a tentativa de comunicação dela.

("Deixa chorar que passar!"; "Faz cara de alface que daqui a pouco passa!". "Finjo que nem é comigo!".) _____ Isto não é permitir que ela se expresse e acolher seus sentimentos. Isso é estar DESCONECTADO(A) dos seus sentimentos. (Atenção: ACOLHER NÃO É CEDER e estar disponível emocionalmente não é mimar ou martirizar). Permitir que ela chore e que se expresse é perceber que, naquele momento, esta foi a forma que ela encontrou para tentar comunicar uma INSATISFAÇÃO ou uma necessidade não atendida (tudo bem tomar conta dos limites para evitar riscos contra si ou contra outrem!). Ignorar e fazer cara de alface é dizer sem palavras, à criança, que você NÃO SE IMPORTA com a sua frustração. E que ao tentar expressar suas emoções ela não será percebida ou compreendida. É possível ACOLHER e se CONECTAR com as necessidades vivas naquele momento, na criança, sem dizer uma só palavra? SIM! _____ É possível estar DESCONECTADO com as necessidades dela e demonstrar DESINTERESSE sem dizer uma só palavra? SIM! _____ As motivações são bem diferentes e a criança vai reconhecer quais são. . Texto por Soraya Hiraoka @pazepais Educadora Parental e Facilitadora da Comunicação Não Violenta (CNV)



#cnv #comunicacaonaoviolente #acolhimento #disciplinapositiva #conexao #escoladepais #educacaorespeitosa

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Se fossemos definir a empatia, poderíamos dizer que é a habilidade socioemocional de se colocar no lugar do outro, sentir como ele. Uma expressão bem conhecida do inglês para exemplifica-la é o “walk